Equipe

sexta-feira, 20 de julho de 2018

Surpresas do desejo/Tentação do prazer (Sharon Kendrick)


     Sou uma apaixonada pela Editora Harlequin. Seus livros de bolso então são meus grandes vícios. Fáceis de se carregar na bolsa (seja ela grande ou pequena), com histórias interessantes que dá pra dar "aquela desligada" do mundo real e o preço. Como diz a propaganda: um precinho que cabe no seu bolso. E se vem duas histórias em um livro só então? É diversão garantida por mais tempo. 
     Como esse livrinho de bolso tem duas histórias vou resenha-las em separado pois sei que eles existem como únicos também.

Sinopse:

- Surpresas do Desejo:

     Aisling pode ser uma caçadora de talentos de primeira para a empresa do bilionário Gianluca Palladio, mas, devido à sua aparência sóbria e conservadora, ele nunca reparou nela de verdade. Até que, em uma festa no interior da Itália, Gianluca tem um vislumbre da mulher que se esconde sob a fachada de executiva formal: a intensidade de Aisling desperta nele o desejo de seduzi-la… Uma noite não é o suficiente, e ele exige outra para que terminem o que começaram. Mas um breve caso fica fora de questão, pois agora Aisling e Gianluca estão ligados para sempre…

Resenha:

     Vocês devem estar pensando... mais uma história de amor entre um milionário e uma mulher carente. É... concordo que é bem clichê, mas vende. E porque vende? Por que queremos sair do nosso cotidiano e às vezes a melhor forma de se desligar desta nossa vida dura é através de uma boa história de amor. É claro que temos plena consciência de que histórias como a que lemos nesses livros quase nunca acontecem na vida real mas... quem se importa? Leio para me distrair, sair do lugar comum e uma bela história de amor é e sempre será uma bela história de amor.
    Em Surpresas do Desejo vemos uma química forte e latente entre Aisling, uma headhunter (caçadora de talentos ou se preferir uma agenciadora de empregos) e Gianluca, um lindo e sexy bilionário. 
     A história e o jogo de sedução acontece em Londres e Úmbria (Itália) e conta com diálogos divertidos e os pensamentos dos personagens que lhe dá vontade de dar um sacode em cada um deles. Não fique esperando muita coisa, com algum plot twist arrebatador. É uma história clichê, com diálogos bem estruturados e enredo dinâmico, além é claro de um final feliz previsível.

- Tentação do Prazer:

Sinopse:

     O orgulho de Cesare fora ferido anos atrás por Sorcha Wittaker. Agora, a empresa dela precisa de seu talento. Então ele decide seduzi-la e abandoná-la, só por vingança! Sorcha ainda é a mulher mais atraente que ele conheceu. Seja na sala de reunião, no escritório ou no quarto, a paixão entre eles é incrível. Terminar o caso será uma missão muito difícil...

Resenha:

     Mais um clichêzão daqueles, a diferença agora é que a história é meio truncada. Demorei para compreender o dilema de vida dos personagens. Primeiro me soava estranho o nome da mocinha. Sorcha. Esquisito, não? 
      Na história Sorcha conhece Cesare quando ainda é uma adolescente (afinal 18 anos para mim um jovem ainda está naquela fase indecisa) linda e sonhadora e ele um rapaz (tem 26 anos nessa época) enigmático e amigo de seu irmão, Rupert, ou seja, proibido!
     Depois de recusar o pedido de casamento de Cesare (OPS! SPOILER!!!) Sorcha segue seu caminho sem jamais esquecer tão arrebatador amor (É ou não um clichêzão?) e anos depois reencontra Cesare, mais lindo, sexy e encantador do que antes. Ele é convidado a ajudar na recuperação da empresa da família de Sorcha. 
     Os diálogos são em muitos momentos cansativos, com cada um querendo superar e humilhar o outro. Em diversos momentos me dava uma vontade louca de dar uns tapas nos dois para parar de tanto mimimi. Em outros de dar uma bela e atravessada resposta. Mas tudo faz parte da provocação com o leitor. E com isso não largar a história mas sim ler vorazmente para saber como ela acaba.

Conclusão:

     Se você quer ler algo para sair de uma ressaca literária braba eu sempre aconselho. leia os chamados livros de banca. São sempre agradáveis surpresas. E você? Curte um bom clichê? E esses romances de banca? Contem pra mim. Abraços e até a próxima resenha.

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Na Telona: Primavera em Casablanca


Misture os seguintes ingredientes: Uma linda história de um professor marroquino que dá aulas gratuitas a crianças em berbere; Altas doses de machismo; Um fã de Fred Mercury sonhando em viver de música; Uma rica adolescente que enfrenta conflitos relacionados a opção sexual; Um homem judeu que vive independente de sua religião. Misture tudo em dois tempos, em 1982 e 2015, com tudo que isso implica, em termos comportamentais, religiosos e políticos. O cenário? Marrocos. Eis a receita de um bolo belo, porém confuso, com tantas histórias independentes que (eis o único spoiler que podemos dar), não necessariamente se esbarram.
Ao fundo, uma homenagem indireta ao filme Casablanca, que nos emociona e nos diverte junto com os personagens.
O filme abordado hoje é Primavera em Casablanca, de Nabil Ayouch (com roteiro dele e de Maryam Touzani - que estampa o pôster do filme e é uma das protagonistas). Delicado, sensível, agoniante, confuso, com bons cenários e clichês. Uma obra que te deixa saindo do cinema pensativo e discutindo os assuntos abordados por dias. Extremamente recomendado!

quarta-feira, 18 de julho de 2018

Conto de Fadas Rock'n roll: O Baixista (L. C. Almeida)


Nota: ✰✰✰✰✰

Resenha: Chloe é uma jovem órfã, que passou a vida acompanhada de sua única família, os meninos da banda Black Road. Dessa relação, surgiu um namoro com o baixista, Axl Hunter, de quem ela fugiu ao perceber que a banda poderia crescer (e ela se achou um peso na vida do boy), deixando Axl destruído emocionalmente.
Após alguns anos tentando esquecer o ex, Chloe está de volta. Claro que não será bem recebida de primeira, né? Então a moça consegue uma vaga de assistente executiva da banda, o que garante tempo indeterminado ao lado de Ax. Mas a vida de ambos já não é a mesma (o trauma dele o faz achar que ela vai fugir novamente) e a banda é considerada a realeza do rock. Será que eles conseguem superar seus traumas e darem uma segunda chance ao amor?
Um detalhe: No caminho de reconquistar o ex, Chloe e Ax precisam fingir que são novamente um casal para ela acompanhar o moço no casamento da irmã (com a ex dele. Sim. O único namoro que o baixista teve depois de Chloe foi com uma moça lésbica). Nesse reencontro com a família, muita coisa acontece entre confusões com fãs e implicâncias de ex's.
Contando com músicas que não saem das nossas playlists, muita risada e suspiros, o livro é muito bem escrito e de leitura rápida (causando ressaca literária depois, inclusive). Esse é o segundo volume da série Conto de Fadas Rock'n Roll. Em breve, traremos a resenha dos outros integrantes.

terça-feira, 17 de julho de 2018

Inconveniências de Um Casamento( O Clube dos Devassos livro 2) - Chiara Ciodarot



Título: As Inconveniências De Um Casamento
Autora: Chiara Ciodarot
Distribuito: Amazon
Ano: 2018
Páginas: 339

Sinopse:


Rio de Janeiro, 1874



Bailes, saraus, passeios pela Ouvidor, visitas à modista ou comer docinhos na Carceller, nada disso parece entreter Caetana Feitosa de Vasconcelos. Tudo perdeu o encanto e o brilho quando ela descobriu, no dia do seu casamento, que o seu marido havia omitido detalhes importantes sobre a sua vida e que envolvem o pai da noiva. Agora, magoada e incapaz de aceitar a falta de confiança, Caetana dá um ultimato: seu marido terá que contar toda a verdade, senão, não consumarão o casamento e será anulado. 

Não poderia haver maior temor para Roberto Canto e Melo do que perder a mulher que ama. Apaixonado pela esposa, desde o primeiro momento em que a viu, ele se sente num duelo de forças, tanto interno quanto externo. Precisa proteger um segredo que não é seu e que, se descoberto, poderá prejudicar vários escravizados traficados ilegalmente e destruir o Clube dos Devassos. 

Será o Amor capaz de perdoar, ou os dois terão que conviver com aquele casamento inconveniente? 

Venha se apaixonar com Caetana e Canto e Melo, no segundo volume da Coleção O Clube dos Devassos. 

Resenha:

O segundo livro da coleção: O Clube dos Devassos. Atende a todas expectativas de quem leu o primeiro livro.
Então se você ainda não leu o primeiro, para ai! 
Dê uma olhada na nossa resenha de  A Baronesa Descalça, depois leia o livro e só ai continue a ler esta resenha. 
No segundo livro temos a história de Caetana e Canto Melo, um casal cheio de aventuras e muita poesia.
Caetana que para alguns parecia ser uma jovem frágil, delicada e de certa forma submissa, mostra sua verdadeira identidade neste livro. 

" Eu odeio ouvir vocês falarem sobre as mulheres como se fossem frágeis damas ao invés de criaturas racionais. Nenhuma de nós quer viver em águas calmas por toda a vida"
                                                                         Jane Austen, Persuasão

Caetana tal como Jane Austen descreveu não tem medo de águas turbulentas, forte e valente a personagem vai ganhando mais poder ao longo da trama. Claro que ainda assim é uma pessoa sensível em busca de uma vida feliz para si tal como para todos ao seu redor. Se no primeiro livro vimos uma Caetana sufocada pelo seu pai, neste podemos ver todas as nuances do casamento com Canto Melo..
Nosso Devasso da vez, é um poeta em um corpo de guerreiro, cheio de amor para entregar a Caetana, porém envolvido em grandes mentiras também. 
A tempos não me deparava com uma história tão envolvente. De um lado temos o romance e a ação, de outro temos uma boa dose de comédia. 
Canto e Melo é sem dúvidas uma figura única.

"André poderia não ser um letrado e nem ter conhecimento de poética, mas duvidava que rimar coração com limão, comparar amor com licor e fazer trocadilhos entre desejo e queijo, junto e presunto, que se formaria uma bela poesia. Era aquilo receita de amor ou de de café da manhã?"

Entre o rir e suspirar o leitor é levado varias vezes a pensar no processo abolicionista do Brasil.

Torci muito pela felicidade do casal, afinal um amor cercado de poesia merece receber o premio mais ansiado pelos poetas.,

" O que é o Amor senão canto e silencio, 
ao mesmo  tempo." 
Roberto Canto e Melo, O que é

Considerações Finais:

Uma narrativa, simples, clara e bem fluida. Os personagens criados pela Chiara são envolventes, envolvidos em personalidades distintas e marcantes. A trama esta perfeitamente alinhada ao primeiro livro A baronesa descalça. 
O trabalho de edição e revisão segue a mesma linha do livro anterior, vale ainda ressaltar a belissima capa e claro os trechos de poesias( Amei!)

Em suma, um livro lindo, bem escrito e com muita vida.

E claro, já estou ansiosa para conhecer melhor outros devassos...








domingo, 15 de julho de 2018

Na Natureza Selvagem (Jon Krakauer)




Lançado originalmente em 1996, Na natureza selvagem é um complexo trabalho jornalístico de Jo
n Krakauer, ex-aventureiro escalador que se tornou um jornalista muito atuante, o que sem dúvida teve influência no finíssimo resultado do livro. Uma refinada organização de ideias permite que a obra seja lida como se fosse um romance de ficção — o autor constrói uma narrativa diferenciada, daquelas que começam pelo final e não se esforçam em deixar algum mistério sobre o que vai acontecer depois: não é bem o desfecho que interessa ao leitor, mas sim a explicação para ele. Afinal, o que motivou Chistopher McCandless a largar uma vida confortável para procurar a natureza selvagem?

O livro inspirou um filme do mesmo nome que se tornou muito conhecido para todos os bichos-grilos, aventureiros, curiosos que assistem a Tela Quente ou simplesmente amantes do cinema, ou da “sétima arte”, como diriam os maiores nomes do transporte alternativo do Brasil no Choque de Cultura.

Sinopse

Conta-se a história de Christopher McCandless, 23 anos, recém-formado em História. Concluídas as suas obrigações acadêmicas, o jovem de classe média ignora a possibilidade de estudar Direito em uma instituição renomada, doa todo o dinheiro da poupança acadêmica a uma instituição beneficente e parte para uma viagem tão louca quanto espiritual, em busca do Alaska, região naturalmente não muito hospitaleira que por suas paisagens meio contemplativas e góticas exerce fascínio em aventureiros da América do Norte, especialmente nos estadunidenses. Lá chegando, se estabeleceu num microônibus que por isso se tornou famoso no mundo inteiro. O autor conta até por que o veículo foi parar naquele local tão afastado. Também deixa para trás seus pais, sua irmã e tudo o que vivia antes.

Por isso, Krakauer também dedica parte do livro a contar a trajetória de outros aventureiros, para assim ficar perceptível em que medida tais vagabundos errantes se parecem uns com os outros e o que os diferenciam. Ele pormenoriza especialmente as vidas de Russellini e Everett Ruess. Ambos, assim como Krakauer, foram ou ensinados pelos pais ou aprenderam de alguma forma a acampar, além de serem esportistas dedicadíssimos, disciplinados quase ao ponto do profissionalismo.

O próprio McCandless, que assumiu o alter ego de Alexander Supertramp durante quase toda a sua aventura, ajudou Krakrauer na escrita por ter um contato íntimo com a escrita durante suas andanças. MacCandless era um ardente escritor de diários, quase sempre registrando pelo menos uma frase para cada uma das situações pelas quais passou. Outro material, essencial neste caso, foram os relatos das pessoas que conviveram com ele durante sua misteriosa viagem – tão misteriosa que nem um detetive a serviço dos pais conseguiu localizá-lo. Mas isto está muito bem explicado no livro.

O que ficou do que passou

O livro é tão inspirador quanto o filme, embora a produção do cinema seja menos jornalística e mais focada em uma narrativa que tem muito do tom lúdico de filmes ficcionais. Não é exagero quando algumas pessoas dizem que o filme realmente mudou seus planos de vida — agora eu sei que tampouco o será com o livro, também muito inspirador e ainda mais completo, mostrando outras histórias de gente errante e alguns detalhes que uma produção cinematográfica não conseguiria atingir. Cada plataforma (cinema; livro), portanto, se completa.

O autor, apesar de ser meio entusiasta da vida de McCandless, não se furta a criticá-lo e durante todo o livro apresenta várias visões sobre os feitos do andarilho, tanto opiniões e estudos negativos quanto positivos, concordando com alguns e discordando de outros. O livro é bem mais potente em desmistificar algumas passagens da vida de Chris, até porque não poupa esforços em explanar toda o esforço de pesquisa feito por Krakauer.

Jon Krakauer também escreveu O ar rarefeito (1998), livro de grande difusão, Sobre homens e montanhas (1999) e Pela bandeira do paraíso (2003). Contribui para diversos jornais e se mantém ativo na escrita até hoje. 

sexta-feira, 13 de julho de 2018

A Vida Secreta das Árvores (Peter Wohlleben)




Sinopse:


     E se tudo o que você sempre pensou saber a respeito das árvores estivesse errado? E se, apesar de tão diferentes de nós, descobríssemos que elas compartilham diversas características dos humanos?
     Nos últimos anos a ciência tem comprovado que as árvores e o homem têm muito mais em comum do que poderíamos imaginar. Assim como nós, elas se comunicam, mantêm relacionamentos, formam famílias, cuidam dos doentes e dos filhos, têm memória, defendem-se de agressores e competem ferozmente com outras espécies – às vezes, até com outras árvores da mesma espécie. Algumas são naturalmente solitárias, enquanto outras só conseguem viver plenamente se fizerem parte de uma comunidade. E, assim como nós, cada uma se adapta melhor a determinado ambiente.
     Em A vida secreta das árvores, o engenheiro florestal alemão Peter Wohlleben alia seus 20 anos de experiência às últimas descobertas científicas para examinar o dia a dia desses seres fantásticos. Com um ponto de vista surpreendente e inovador, o livro se tornou um fenômeno na Alemanha, entrou para a lista de mais vendidos do The New York Times e teve seus direitos negociados para 18 países. Essa viagem fascinante pela vida das árvores e florestas é um convite a repensarmos nossa relação com a natureza.

Resenha:

     Como bióloga, botânica e educadora ambiental vocês podem imaginar a minha empolgação quando soube deste livro. Foi através de um encontro de livreiros e blogueiros com a editora Sextante/Arqueiro que ganhei esse livro e ao assistir ao video sobre ele minha empolgação foi maior ainda.


     Mas ao ler veio a triste constatação... A abordagem dele é só com florestas de clima  temperado (com verões e invernos bem definidos) e cuja vegetação é bem distinta da que temos nas regiões tropicais. Então caro leitor... não se apegue tanto ao que você vai ler neste livro pois a maioria dos conceitos não se aplica para nós.
     Fora isso, muitos conceitos ecológicos tratados são mal expostos ou até mesmo fantasiados com interpretações em sua maioria das vezes errôneas.
     Mas não desanimem e desistam de ler esse livro. De uma linguagem de fácil compreensão o texto é acessível aos leigos no assunto. E se você tiver o devido cuidado de compreender que nem tudo que você está lendo nele é tão "ferro e fogo" como o autor tenta passar, trata-se de uma forma mais popular e simples de se compreender a importância que se tem ao se conservar uma floresta. E que árvore, ou planta, como preferir, não é um ser inanimado, ele tem vida e reações como qualquer ser vivo, mesmo que em seu tempo e limite. 

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Segredo Obscuro Parte II - J. Marquesi






Sinopse: 


Com a revelação do segredo obscuro de Giovanna Villazza, Nicholas Smythe-Fox não consegue perdoá-la por suas mentiras e, três anos após o término do relacionamento, ele se sente mexido com a volta da mulher que encheu seu coração de alegria, mas também de dor.
Giovanna não queria voltar ao Brasil nunca mais, porém, como seu irmão mais velho não poderá passar o Natal com sua família na Itália, ela decide passar um tempo com ele em São Paulo, onde ele mora atualmente. Mesmo depois de três anos, ela ainda conserva todos os sentimentos intactos por Nicholas. Entretanto, mais um segredo a faz querer estar longe dele.

Uma tragédia ocorre, tirando a paz dos Villazzas, trazendo os Novaks de Toledo de volta à convivência dessa família, reaproximando Giovanna e Nicholas, que precisarão unir esforços para se defender de um homem disposto a ir até às últimas consequências para ter o que quer: vingança.

Muitos segredos serão revelados, muitas máscaras cairão nesse último livro da série Família Villazza.
Resenha:
Quando eu terminei de ler a parte I, foram quase dois meses até o lançamento da parte II e eu fiquei extremamente ansiosa para descobrir o que realmente tinha acontecido. No começo do livro teremos a grande decepção que já se passaram três anos e Nick está de casamento marcado, mas não é com Giovanna e apesar de eu amar o Nick eu fiquei muito p... no jeito que ele deu continuidade da sua vida. Mas nada que um ou dois capítulos resolvesse e eu já estava lá toda apaixonadinha por ele. O livro explica aquela primeira parte do livro I e vamos entender o que realmente estava acontecendo.
Em uma situação muito delicada uma bomba cai no colo de Nick e ele precisa fazer algo para salvar a pessoa que ele nem conhece, mas que com certeza é a que ele mais ama na vida.
O reencontro de Gio e Nick não foi um dos melhores devido a situação em que se encontravam. Mas foi necessário para ele observar que ela ainda mexia muito com ele. Gio tem que tomar a decisão entre voltar para Itália ou ficar no Brasil correndo vários riscos, mas sob a proteção de Nick ela decide ficar no Brasil para que ele possa conhecer um pouco de Mia.
A sua permanência no Brasil fará com que eles passem por situações muito complicadas, será que o amor irá resistir a tantas complicações? Para ter essas respostas leia o livro e se delicie com a continuação dessa linda estória!!!!!!!!!!!!